Notícias

URGENTE: Ministro de LULA promete ACABAR com a ALEGRIA dos brasileiros e pôr UM FIM em BENEFÍCIO

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) derrotou Jair Bolsonaro (PL) nas urnas e assumiu a posse no dia 1° de janeiro de 2023. O ex-presidente é o primeiro a não se reeleger desde 1997, quando essa possibilidade foi instituída. URGENTE: Ministro de LULA promete ACABAR com a ALEGRIA dos brasileiros e pôr UM FIM em BENEFÍCIO.

Os mais de 58 milhões de eleitores de Bolsonaro nunca aceitaram a vitória de Lula e fazem protestos e cometem atos de vandalismo desde sua vitória. No dia 8 de janeiro, bolsonaristas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes em Brasília (DF).

Desde que perdeu para Lula, Bolsonaro tem optado por uma abordagem mais silenciosa e discreta neste momento. Jair Bolsonaro só se manifestou sobre sua derrota para Luiz Inácio, dois dias depois do segundo turno das eleições. Em um pronunciamento de um pouco mais de 2 minutos no Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro se disse muito grato aos 58 milhões de brasileiros que deram seu voto para ele.

Lula foi presidente do Brasil de 2003 a 2011. Segundo as pesquisas, Lula seria o vencedor das eleições deste ano, desde as primeiras pesquisas feitas. Lula recebeu 60 milhões de votos ao total e Jair Bolsonaro recebeu 58 milhões, sendo essa uma vantagem de dois milhões de votos.

Ministro de Lula prometeu acabar com benefício dos trabalhadores.

Os saques anuais do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), podem acabar ainda mais cedo, já que Luiz Marinho, novo ministro do Trabalho, já deu a entender que pretende encerrar o serviço.

Durante uma entrevista ao jornal O Globo e a CNN, Marinho criticou o programa de saques anuais do FGTS e falou que “colocaria as coisas nos trilhos”.

Ainda na entrevista, Marinho disse que para colocar dinheiro no mercado, o governo Bolsonaro criou os saques de aniversário, que seriam garantias de empréstimos consignados.

A decisão de acabar com o saque aniversário do FGTS gerou muitas reações positivas e negativas em todo o setor. E mesmo que o ministro tenha demonstrado certa convicção em acabar com o benefício, ele ainda disse que o assunto será encaminhado ao Conselho de Administração do FGTS, que tomará a decisão sobre este assunto.

Botão Voltar ao topo